Previsão do Tempo

Hoje

Mais um passo rumo a pavimentação da Transbrasiliana

14/09/2019

Momento, considerado um marco para a comunidade, ocorreu neste sábado (14) Uma luta da região norte do Rio Grande do Sul que vem se estendendo por 50 anos. A conclusão do asfaltamento da BR 153, a Transbrasiliana, trecho que liga Passo Fundo e Erechim, é uma das principais demandas da região que aguarda a pavimentação de aproximadamente 70 km. Neste sábado, dia 14 de setembro, um novo passo foi dado rumo a pavimentação da rodovia, com o ato de entrega do edital de licitação para contratação de empresa especializada para elaboração de estudos e projetos básicos executivos de engenharia para pavimentação, adequação de capacidade, melhoria da segurança e eliminação de segmentos críticos da rodovia. O encontro ocorreu no Campus I da Universidade de Passo Fundo (UPF). O ato foi promovido pela UPF, pelo Comitê Executivo Pró-Conclusão da Obra da BR 153, e pelos Conselhos Regionais de Desenvolvimento da Região da Produção e Norte. O edital de autorização para conclusão da BR 153, foi divulgado pelo Governo Federal no dia 28 de agosto. Desde 2015, a UPF juntamente com os Coredes Produção e Norte e URI, lideraram uma movimentação regional em busca da pavimentação da rodovia. De acordo com a reitora da UPF, professora Dra. Bernadete Maria Dalmolin, a partir do conhecimento da precariedade da estrada e da solicitação de prefeitos da região, a UPF liderou um grupo que constituiu o Comitê Executivo Pró-Conclusão da Obra da BR 153, que vem organizando ações visando à sensibilização das autoridades para a conclusão da obra. "Estamos celebrando a entrega deste edital que é fundamental para continuidade da obra. Nós sabemos que ainda temos algumas etapas pela frente, mas é um momento de agradecimento por toda essa luta histórica de 50 anos. É um momento que queremos destacar a necessidade da vigilância, do acompanhamento para que essa obra realmente saia do papel e seja uma realidade", destacou. Para a presidente do Corede Produção e diretora da UPF Carazinho, Munira Awad, o lançamento do edital é um marco na luta pela Transbrasiliana. "Começamos o trabalho realizando diversas reuniões e o DNIT nos dizia que era importante a elaboração de um novo projeto da BR, porque o projeto que se tem é de 50 anos atrás e naquele momento tinha uma ponte, hoje nós temos 11 pontes. Então realizamos muitas ações, como por exemplo, uma audiência pública em Não-Me-Toque, durante a Expodireto. Essa iniciativa, que teve o apoio do Nei Mânica, proporcionou a coleta de 50 mil assinaturas para entregarmos ao DNIT. Esse é um momento importante, mas é só a primeira etapa, logo vamos começar a trabalhar para a execução. É importante destacar que há uma possibilidade do próprio Exército, que tem um papel social, de fazer a obra", comentou. O prefeito de Ipiranga do Sul representante dos prefeitos da Associação dos Municípios do Alto Uruguai (AMAU) e o Comitê BR 153, Mário Luiz Ceron, salientou que o sonho de ver a obra concluída poderá se tornar realidade em breve. "Conseguimos chegar ao ponto necessário para materializar essa tão sonhada obra que não é apenas da nossa região de Ipiranga do Sul, mas é dos gaúchos e do Brasil, porque ela está entre as maiores rodovias do país. É um momento fantástico, gerações sonharam com essa obra e não conseguiram ver, mas agora estamos na condição que as gerações futuras poderão usufruir do que é necessário para se ter uma boa condição de desenvolvimento", afirmou. O deputado federal Giovani Cherini, que participou do evento, também sinalizou a importância do lançamento. " Venho colocando essa obra da Transbrasiliana nas minhas indicações individuais, no orçamento individual de parlamentar. Mas isso aqui é fruto realmente de muito esforço e felizmente temos essa notícia boa para dar para comunidade, mas isso é só o começo precisamos conseguir recursos do orçamento da união para depois fazer efetivamente a obra. Temos que continuar pressionando, porque os recursos da união do orçamento deste ano, 94% já estão engessados, sobrando menos de 6% para investimento, então as disputadas por verbas são muito grandes, mas mesmo assim estamos conseguindo licitar o projeto, dar o primeiro passo, isso em nenhum lugar do país estão conseguindo fazer", frisou. Diversas lideranças participaram do ato, como o prefeito de Barra do Rio do Azul, e vice-presidente das Associações de Municípios do Rio Grande do Sul, Marcelo Arruda; o prefeito de Passo Fundo, representando a Associação de Municípios do Planalto (AMPLA), Luciano Azevedo; o deputado estadual, Mateus Wesp; o deputado estadual Gilberto Capoani; presidente da Câmara de Vereadores de Passo Fundo, Fernando Rigon; além do vice-reitor de Pesquisa e Pós-Graduação, Dr. Antônio Thomé; vice-reitor de Extensão e Assuntos Comunitários, Dr. Rogerio da Silva; vice-reitor Administrativo, Dr. Cristiano Cervi; do presidente da Fundação Universidade de Passo Fundo (FUPF), Me. Luiz Fernando Kramer Pereira Neto; além de demais prefeitos da região, secretários municipais, assessores, empresários, presidentes de entidades de classe, cooperativas e a comunidade em geral. O processo de licitação da rodovia está em vigor, sendo que às 15h do dia 19 de setembro, está prevista a abertura dos envelopes pelo DNIT nacional com a candidatura das empresas para elaboração do projeto técnico para pavimentação da rodovia. Transbrasiliana A BR 153, conhecida como Transbrasiliana, é a quarta maior rodovia do Brasil e se estende de Marabá, no Pará, até Aceguá, no Rio Grande do Sul, com mais de 4.300 km. É considerada um dos principais corredores de escoamento da produção do país. Os 68,4 km entre Passo Fundo e Erechim constituem o único trecho não pavimentado da via. Há 50 anos, as comunidades dos municípios de Paulo Bento, Jacutinga, Quatro Irmãos, Ipiranga do Sul, Estação, Getúlio Vargas, Sertão e Coxilha, que ficam às margens da BR 153, reivindicam o asfaltamento do trajeto. A pavimentação é extremamente importante para a região por impactar diretamente no escoamento da produção agrícola e para o desenvolvimento do comércio, da indústria e dos serviços. Hoje, esse desenvolvimento é limitado pela precariedade da infraestrutura logística.

 

Texto: Jéssica França

Fotos: Elaine Fontana