Acessibilidade:

Tarde de Campo apresenta modelo de irrigação para lavouras em Ipiranga do Sul

Na Linha Inhaque, interior de Ipiranga do Sul, uma propriedade referência serviu para apresentação de sistema de irrigação para culturas agrícolas. A Tarde de Campo aconteceu nesta quinta-feira (03) e contou com a presença de produtores da região, autoridades e assistentes técnicos.

Para o agricultor Waldecir Scolari, que desenvolveu em sua propriedade o sistema, este projeto foi possível com apoio da Emater, Creral, Sicredi e Prefeitura Municipal.“Estou muito feliz com o resultado e pretendo aumentar a área de dois para sete hectares irrigados. A colheita foi de 202 sacas por hectare”, informou o produtor. Em outros anos, numa safra normal chegaria a 160 sacas/ha.

Para o vice-prefeito de Ipiranga do Sul, Fabiano Luiz Klein, o trabalho desenvolvido serve de modelo e inspiração para os produtores interessados no sistema. “O governo municipal apoia iniciativas como esta que visam melhorar a produtividade e que também servem para amenizar os problemas como enfrentamos na estiagem”, argumentou ao ressaltar o trabalho prestado pelas secretarias de Obras, Agricultura e Meio Ambiente.

O gerente regional da Emater/RS-ASCAR, Gilberto Tonello, parabenizou o produtor pelos investimentos reforçando o potencial produtivo de Ipiranga do Sul e das práticas que promovem o aumento significativo de rentabilidade.

O agrônomo da Emater/RS-ASCAR, Bruno Utermoehl, fez uma explanação geral de como o sistema foi implantado e destacou alguns requisitos para a irrigação como: reserva de água, energia elétrica, projeto técnico, conhecimento e legislação ambiental. Ele também apresentou a quantidade de irrigação de setembro a janeiro. “Neste sistema foram 225mm de irrigação utilizados que totalizaram com a água da chuva 600mm para a cultura. O custo da irrigação por hectare foi de R$ 17 mil, mas isso depende da tecnologia a ser utilizada”, comentou o agrônomo.

A Emater prestou a assistência técnica desde o planejamento até a implementação e acompanhamento do projeto. A prefeitura realizou a abertura das valas para a colocação dos tubos, oferecendo as máquinas e a mão-de-obra para o trabalho. Os investimentos contaram com o apoio da Sicredi para realização do financiamento e da Creral para instalação e melhorias na energia elétrica. Conforme o gerente da Carteira Agro da Sicredi, Dionatan Vitali, o agricultor pronafeano terá dez anos para pagar o financiamento com juros de 3% ao ano. O vice-presidente da Creral, Umberto Toazza, comentou sobre o trabalho que a cooperativa promove junto aos associados incentivando o desenvolvimento rural.

Também prestigiaram o evento os secretários municipais de Obras, Eloir Pegoraro, da Agricultura, Erlon Amauri Baruffi, e de Meio Ambiente, Gilberto Toazza.

Redação e fotos: Fonte Agência de Jornalismo

Imagem destacada:

Fique por dentro das notícias! Cadastre-se no nosso NewsLetter: